Região

Envolvente

Bem-vindo a uma Vila arrebatadora com uma história ancestral.

A apenas 20 minutos de Lisboa, a Ericeira goza de um capital único de beleza natural. A vasta costa, preenchida por soberbas praias atlânticas, compõe um cenário tranquilizador que serve de pano de fundo a uma Vila verdadeiramente pitoresca.

A envolvente, verdadeiramente eclética e complementar, conta com o charme de Sintra, a riqueza patrimonial de Mafra, e as paisagens bucólicas da envolvente rural.

Acredite que não vai querer perder a oportunidade de morar aqui!

Lazer

A Ericeira tem particular notoriedade entre os praticantes de Surf, sendo considerada umas das “mecas” mundiais desta modalidade e tendo sido anfitriã de provas da ASP Wourl Tour nos últimos anos.

Para este fator muito têm contribuido as enumeras instalações de qualidade que oferecem condições ótimas à pratica da modalidade e, claro, as magníficas ondas que não dão descanso aos surfistas durante praticamente todo o ano. De resto, esta é a “casa” daquele que é considerdo o melhor surfista de todos os tempos: Tiago Pires, ou simplesmente, ‘Saca’.

Mas a verdade é que na Ericeira há muito mais vida para lá do Surf e dos mais variados desportos aquáticos. Se para si a praia é sinónimo de descanso absoluto, se é um amante de Golf, de BTT ou Hipismo, este é o seu destino.

Gastronomia

Sendo uma das vilas portuguesas de maior tradição piscatória, a gastronomia da Ericeira vive essencialmente de tudo o que o mar oferece.

Experimente a imensidão de restaurantes especialistas na confeição de peixe e marísco frescos, todos os dias.

Se é adepto das refeições caseiras, não perca a oportunidade de se abastecer no fabuloso Mercado Municipal ou mesmo de negociar diretamente com os pescadores, na lota.

Para acompanhar os seus peixes e maríscos pode contar com uma enorme variedade de produtos agrícolas, produzidos nas envolventes rurais da Vila.

História

Mas nem só do ‘presente’ vive a Ericeira, tendo ganho o seu lugar na História de Portugal.

A Vila foi, aliás, em 1910, a grande testemunha do fim da monarquia portuguesa, uma vez que nela se desenrolou o episódio da fuga de D. Manuel II, último Rei de Portugal, e de parte da Família Real, para o exílio em Inglaterra.

Sendo uma das Vilas mais antigas de Portugal – a primeira carta foral remonta a 1229 – cedo ficou demonstrada a grande vocação para uma subsistência virada para o mar. Contudo, é já no Séc. XIX que a Ericeira vive os seus “anos de ouro”, uma vez que o seu porto se torna o mais importante de toda a Estremadura, trazendo um enorme incremento económico à região, e fixando nela algumas das mais importantes famílias do País.